COLUNAS AQUAFLUX
Pensando fora da caixa.

Existem muitas facetas do aquarismo.

Muitos adeptos do aquário com plantas, muitos de comunitários, muitos de marinhos (e estes de reefs e outros de apenas peixes), muitos de aquários com plantas, outros de aquário apenas com pedragismo ou amazônicos, alguns de nanos, outros de killis, outros diversos de vários temáticos e alguns curtem um envolvimento maior com o peixe e optam pelo pet fish.

Mas o que é pet fish?
Bom, aquário pet fish é um aquário onde é mantido um único exemplar de um peixe, muitas vezes escolhido pela sua capacidade de interação com o dono ou beleza/comportamento e onde o paisagismo do tanque é voltado para essa espécie.

Quais os peixes mais comuns?
Os mais comuns são os ciclideos, em especial o Oscar, o Jack Dempsey, o Flowerhorn entre vários outros.

Mas o foco desse artigo não são os peixes mais comuns, mas os peixes que podem ser opções interessantes, mas poucas pessoas nem sequer imaginam.

Outros tipos de pet fish.
Uma característica para “ser um pet fish” é o comportamento curioso e a inteligência para poder interagir com o dono.

Nesse foco (entre os vários) se destacam os membros da família Osphroneminae (antiga Anabantídeos) e outros membros dos ciclídeos (fora as enguias, Polypteruse e outros que serão apenas mencionados nesse texto).

Outros ciclídeos
Ciclídeos anões como xadrezinhos, apistos, papilocromis e curviceps podem ser criados em aquários de 30-40 litros com boa flora que intensificará suas cores.

Kribensis e peixe jóia são boas opções em um aquário de uns 60-100 litros com plantas em troncos, plantas pouco exigente e areia.

Acará portalegrense ou um boca de fogo ficam legais em um aquário de 100 -150 litros com areia de fundo.

Ciclideos jumbos como cará, jacundá ou papagaio podem ser criados em aquários de 150-200 litros com pedragismo ou troncos e substrato também de areia.

Família Osphroneminae
O mais comum pet fish é o betta (e todas as variedades e raças destes) e fora o peixe do paraíso (já descrito como pet fish em outro artigo) muitos outros podem ser criados como pet fish.

As colisas (mel, lalia/cobalto, chuna e até a laboriosa) podem ser criadas como pet fishs em aquários de 40 – 60 litros, com plantas simples.

Os tricogaster (seja o lery sejam os amarelos ou azuis) ficam bem em um aquário a partir de 60 litros com plantas de superfície e fundo de areia.

Trichopsi é um peixe meio incomum de se achar em lojas, e embora pelo tamanho fique mais legal em cardumes/haréns pode ser criado como pet fish em nanos de 30 litros.

Killifishs
Normalmente os killis são criados em casais, mas podem ser criados em nanos como pet fishs com a vantagem do aumento da longevidade devido a energia gasta com a reprodução.

Outros
Outros peixes podem se tornar pet fishs.

Kinguios

Embora de cardume, podem ficar unitariamente (se receber boa atenção) em um aquário de uns 70-80 litros com substrato não muito fino (nem muito grosso) e ótima filtragem.

Nesse ambiente realmente as plantas vão ser muito visadas.

Baiacus de água doce

É uma opção interessante em um aquário de 80 - 100 litros pelo seu nado.

Precisa de alimentação viva (em especial caramujos e camarões) para seu melhor bem estar.

Moréias de água doce e bichir.

Só seu formato já valeria a pena.

Peixe para aquários grandes de 300l para cima.

Peixe arqueiro.

Pelo seu habito de “caça” e atividade vale a pena tê-lo em um aquário de 100 litros com troncos com plantas presas neles e folhas nos substrato.

Mocinha.

Pelo hábito, forma e comportamento alimentar esse peixe não tão vistoso mas muito vistoso ficaria legal em um nano de 30 litros com substrato de areia, forte filtragem e pedras (imitando seu habitat de corredeiras-remansos de rios).

Piranha.

Não criaria, ainda mais por ser de cardume, mas tem quem crie em aquários de 200l.

Peixe folha.

Um aquário de 60 litros com fundo de areia, folhas e troncos e plantas de superfície deixarão esse predador á vontade para caçar suas presas das quais depende de você fornecer.

Bagres.

Vai depender do tamanho do peixe gato o tamanho do aquário, mas vários tipos podem ser criados em aquário acima de 100l.

Aquário
Obviamente voltado a cada peixe o aquário deve ser pensado no habitat natural do peixe (correnteza, água escura, plantas, areia, cascalho, etc) e a alimentação é um ponto chave.

Sendo que muitos dos peixes descritos são predadores então apreciarão caçar e seria bom ao hobbysta fornecer um largo espectro de presas vivas/liofilizadas/congeladas, de moluscos (Physa, Planorbidae, trombeta, etc) anelídeos (enquitreias, minhocas, etc), larvas de insetos (larvas de besouro do amendoim, larvas de mosquito, etc), insetos adultos (drosophila, mosquitos, etc), alevinos de peixes (guppy, platy, etc) e crustáceos (artêmia, dafnia, camarão, gammarus, etc).

Uma maneira interessante de alimentar e interagir com um pet fish é utilizar um palito de churrasco (sem ponta afiada, lógico) e prender ali um “petisco” como um pedaço de peixe, uma minhoca, um pedaço de camarão ou gammarus, ou outro alimento firme e tomar o lugar da “presa” movimentando o palito com a aproximação do peixe (mas não fuja muito para não desgastar o peixe).

Outra é segurar esse petisco próximo da água e ver o peixe pular (cuidado!!!) e pegar este dos seus dedos.

Usar ração em grânulos e espalhar em vários pontos do aquário e vê-lo “caçando o tesouro” é outra forma de enriquecimento ambiental.

Como dito os predadores vão dar um show quando for introduzida uma presa (por favor, não viaje na presa como certos hobbystas... um peixe é o máximo na cadeia evolutiva que devemos oferecer... em especial para a piranha).

Devido a excitação (nossa e do peixe) devemos nos policiar ao máximo na hora da alimentação (com certeza podemos matar um peixe muito mais facilmente pelo excesso do que pela falta de alimentação).

Então por favor.... parcimônia é tudo!

Então como podem ver existem opções para todos os bolsos, paisagismos e espaços no que tange a pet fish e uma variedade enorme de opções.

Abraços a todos.


Autor: Fábio L. Villaverde (05/03/2013)
Esta coluna foi lida 2856 vezes.
Gostou desta coluna e deseja publicar em seu website, blog ou outro meio de divulgação?
Entre em contato com nossa equipe e solicite uma autorização.

O aquarismo não é uma ciência exata, portanto estamos sempre abertos a comentários, adições e alterações, fique à vontade para nos ajudar a divulgar e ampliar o hobby.

Aquaflux Aquarismo e Aquapaisagismo © 2008 / 2015
Desenvolvido pela Adivision Websolutions
Aquariumrank.com - Ranking the Top Aquarium Sites on the Internet